De Urbano Santos para o nordeste brasileiro : celebrando a vida





De Janeiro desse ano, de quando percebi que meu texto sobe a boneca Maitê havia sido selecionado para participar da Antologia “Literarte Celebra o Nordeste Brasileiro” especialmente quando recebi o flyer, com os dizeres do texto escolhido e a foto, encurtando a conversa, 2019 começa com a prerrogativa de que terei a chance de mais uma vez fazer cinquentas  e desse o “ melhor ano da história da minha vida”  e eu só enxergo motivos para agradecer ! Tenho sido agraciada com a presença de pessoas do bem, que desejam o bem, sido privilegiada de estar no trabalho e função que inspiram confiança, mas e principalmente com os cuidados de Deus comigo, com minha família porque sei que toda missão a nós confiada, passa pelas mãos do Criador; minha inspiração começa com o sentimento de gratidão porque nasce de mim, além da vontade em escrever  , a vocação, devo dar graças por tudo!
Como eu disse aqui anteriormente, não faço feitos sozinha, conto todas as vezes com outras mãos (https://contosetal.blogspot.com/2019/06/pelo-poder-das-palavras-ca-estou.html)  em retomar essa participação, não pretendo recontar todas as historias , já tive dias que não foram fáceis , por conta de escolha e decisões que em nada me acrescentariam ;  ainda bem que nossos pais são aqueles que nunca desistem de nós! E para falar de qualquer outro dia do Mês de Junho, terei que buscar o que é minha participação nesse contexto e alegra-me em todas as vezes de poder ter tido o merecimento de receber a Comenda Chagas Araújo indicada pelo  amigo Edinilson, mas com a anuência dos demais. Fiz aqui uma reflexão, e já fiz contestações que depois de ditas , me pareceram arrogantes  ao extremo; dei respostas transviadas para uma autoridade local por duas vezes seguidas , quando num diálogo, nessa última em 2000 se encerrou com duas frases dele e uma pancada na mesa:  “ aqui quem manda sou eu”, desafiada, guardei minha voz, esqueci “ o verbo para calar o medo”.   Fui para o enfrentamento através de Jornal e blog com outra maior autoridade, quando meu irmão fora assassinado em 2010; por conta disso amarguei alguns silêncios, papai sentiu-se acuado e teve medo de que outros rojões nos atingissem e ficasse sem mais “um filho”; foi dolorido silenciar sobre esse caso... Então fizemos as tentativas e nada é em vão, fomos na fé, no exercício da oração, porque não há o que compreender sobre a morte... no entanto quer na sala de aula, nas ações, nas execuções de atividades, quer nas conquistas coletivas, quer na defesa de teoria, usando minha voz compreendo que tenho pertinente participação, e como digo nalgumas vezes, “ a gente sabe muito pouco sobre que usa sua voz a nossa favor” ,sem o desgaste de meus equilíbrios porque desde que assumo sei que tudo isso  faz parte. Não trago nostalgia, trago lembranças e sei, bem sei das  vezes que estendo a mão e das vezes que  sou confundida demais pelo “não saber” ou  desarrimada, nalgumas vezes nem me enxergam, narradores é como se não fizessem parte das estatísticas,  são preços e passos que atravessamos para cumprir missões maiores: cumpro a feliz sina, do plantar ao colher, é justo que haja tempo para o regar! Colho a minha parte! Não me reclamo, nem exagero nas prescrições. A própria escritura diz que “ a cada um é dada uma manifestação em vista do bem comum”
Quero antes de tudo edificar meus dons! Falei dia desses sobre um tie break  considerando a arrogância de um governo de dez anos atrás , de uma parcela enorme de gente obcecada e a provocação constante ao Núcleo Sindical de Professores , na época sob a Coordenação do professor Clemilton Barros ; tratei também dia desses de dizer que há mais de dez anos eu publicara meu primeiro livro, de lá para cá, amadurecimento  necessário; brilhos especiais fazem parte de meu olhar, continuo com as mesmas esperanças de que meu lugar seja o melhor para se viver , e mesmo enfrentando as dificuldades tenha seu potencial, suas riquezas e esforço de seus gestores espalhados em paginas especiais! Urbano Santos celebrou a vida característica pulsante dentro de mim durante todo Junho! Urbano Santos escreve nova página na história, e essa não é a partida final! Senti-me demasiadamente gratificada em ter sido uma das escolhidas para participar da obra “Literarte Celebra o Nordeste Brasileiro, orgulho em dizer que há belezas em minha terra , mesmo quando as culturas custam um pouco a chegar; sair das fronteiras e participar com Antonia Rodrigues e outros renomados nomes de uma literatura viva,  de um cotidiano perto de nós!

Celebrei o Nordeste , mas antes celebrei a vida de minha adorável neta !  Celebrei a escrita e de igual modo a minha  própria vida naquele 21 de  Junho no Espaço AMEI; reinventei minha voz para falar das presenças ilustres :entre irmãos, filhos queridos, neta amada, sobrinhos, amigos , colegas de minha querida  cidade  que estavam ali conosco ; disse em meu melhor tom do trabalho dignificante que tem nossos colegas professores. Celebrei a vida, a escrita e a boa dialética visivelmente lembrada pelo meu sobrinho, fiz daquele momento o mais impar de todos, não para destacar meu aniversario, nem meu discurso mas para consagrar meu município, deixar registrado minha gratidão, e eu conseguiu! Brinquei com as palavras sem perder o foco no sentido do fato, debrucei-me sobre minha real arte para que a sensação de sensibilidade não se afastasse de mim! Que tudo isso não foi para colunas sociais, isso é fato, mas prestamos nossas homenagens, recebemos nossas placas de participação influenciamos os convidados  a conhecerem a fonte, a participarem conosco da construção da historia da “terra prometida”: Professor Manoel Ramos em sua rede social disse que Urbano Santos deu o tom da festa! De Urbano Santos para o “Nordeste” é tudo tão perto, celebremos a vida! Deixemos o orgulho de lado, e estendamos as mãos, o nordeste não são apenas os cactos, há flores espalhadas pelo chão! Agradeço a todos , centenas de pessoas que me ajudam a (e)levar minha mensagem adiante, agradeço as presenças e aos corações otimistas que nos  ajudaram na divulgação da Obra Literarte Celebra o Nordeste Brasileiro! Esquive-se de pensamentos negativos e calce os pés, a "leitura é acidentada", autoestima elevada, poder ver e ouvir, ser parte dessa linda historia, ache tempo para gratidão. 
             Celebro a vida! Desejo paz! Sejamos a luz! Tenhamos alguém para ao final apagar as luzes...Essa é minha chance , eterna será minha passagem.


Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...