Cidadãs de um mundo, por direito: “como estrelas na terra"


Representando a Profª  Nilma!
            Crédito Blog Aconteceu Virou Noticia
Passado dia primeiro de julho, fui ali à quadra para assistir a semifinal do jogo de futebol de salão, envolvida nos lances do jogo, clássico importante: Pharma x Santo Antonio, na mesma arquibancada sentou-se uma ex- aluna para falar sobre os trabalhos do Sarau Literário feito na escola e da curiosidade de sua filha em conhecer a escritora a respeito de quem a professora falara durante as atividades. Chamou à pequena e disse: _está aqui, essa é a professora Nilma! Mesmo tímida, demostrou satisfação em ter conhecido “a escritora” , cumprimentei-a e disse-lhe de minha  alegria em poder incentivar novos leitores e que enviaria um livro meu para que aumentasse seu interesse pela leitura. Dali  mesmo conjeturei:  “não é sobre esse clássico” que escreverei, mas do quanto na condição de professora e promotora de leitura, sinto realização e altivez em ver autores e protagonistas apontando de quão grandioso tem sido nosso incentivo, nossa participação na vida de pequenos cidadãos! Tomo a liberdade de ser repetitiva e enaltecer o grandioso trabalho do Sarau que meus colegas professores de tabela com seus pequenos trouxeram para nos apresentar.
Crédito: Blog Aconteceu Virou noticias
           representando Chiquinha Gonzaga e
Prefeita Iracema Vale 
Impossível não reconhecer que novos ciclos se definem, outras oportunidades surgem, impossível não citar o deslumbramento daquelas crianças que nos seus imaginários fizeram muito mais do que arte e entretenimento, aprenderam e ensinaram muitas coisas. Nosso trabalho não começou “grande”, veio com a pequena Elba Ramalho, vinda do Povoado Cocal do Zeca Costa, não se acanhou, ganhou aplausos e fez valer a apresentação de todos que lhe acompanharam; a voz marcante com  desenvoltura da  destemida Maria Bonita, protagonizou sem olhar um papel, leu em voz alta, aquilo que havia compreendido; a entrada inconfundível da menina que encenou  Alcione,  sabia todas as músicas que lhe foram solicitadas; as lições e exemplo de Maria da Penha grande defensora de nossos direitos; a humildade e  doçura de irmã Dulce; o histórico de luta e inúmeras conquistas da presidenta Dilma, em versos, em leitura, em refrão; a musicalidade de Chiquinha Gonzaga, incorporada ao “Eu conto, tu contas, nós contamos” tudo tão bem contextualizado; os traços biográficos da desconhecida Maria Firmina; escritora negra que sofreu os preconceitos daquela século; as leituras de Ruth Rocha; a política de Ana Jansen,  desconstruindo a história do Maranhão; outras cidadãs do mundo, mais perto de nós, são exemplos vivos de quem faz a diferença : Professora Selma do Povoado São Raimundo , emoção, envolvimento, leitura , contextualização e quantos desafios até ali, da roça para a sala de aula; as trajetórias contadas e encenadas sobre nossas Professoras Betinha e Anita Batista. “Nós já acrescentamos muitas esperanças”, “eu não percebia que seria uma pessoa que fez a diferença e pudesse receber homenagem”! O depoimento de nobreza da determinada Professora e Advogada Norma Silva, dela a provocação e incentivo para o estudo, através dela a vocação para que cada um busque seus sonhos, contou-nos de que não é fácil, para nós um exemplo de que através do foco nos livros podemos fazer grandes diferenças; impossível não admitir que o cenário é outro e as proposições tem sido diferentes;   na encenação pessoal e politica da Prefeita Iracema Vale, sobre os desafios, as conquistas, as oportunidades coletivas ; na administração dela muitas iniciativas foram mais valorizadas,  admitimos que com ela nosso aprendizado tem sido constante, “os terrenos permanecem férteis”, é sempre oportuno plantar!  “Precisamos admitir nossos meninos tem feito bonito e nós sentimos muito orgulho deles”, nossa gratidão aos professores, nossos colegas que protagonizam conosco essa bela história! Quem não se sente lisonjeado de ver seu nome estampado, relacionado a algo relevante capaz de transformar outras vidas? Qual de nós não se envaidece em saber que serve de “combustão” por  compartilhar  novos conhecimentos?
Créditos :Blog Aconteceu virou noticias 
Ademais, clássico do futebol em baixa, mas ainda ouço boas expressões e referencias positivas  sobre meu jogador mais amado, de suas habilidades e posturas; clássico na literatura em alta : nossa Ruth Rocha com seu desfile gigante de obras para a montagem de nossa biblioteca, nossa Chiquinha Gonzaga, “Ó, abre alas”, que eu quero contar”; contou e encantou; nós temos nossos nomes registrados, e com um pouco mais de insistência, tornaremos “nossa cidade leitora” , escolhas brilhantes como a canção “Cajueiro Velho”, uma metáfora à vida, à trajetória e ao Povoado; a interpretação e profunda verbalização da canção “Privilegiadas” nela, detive-me nos nomes das grandes mulheres na história da Bíblia, no entanto é do refrão que retiro  a mensagem “ quer mais, recebe aí, quer mais, pode pedir, Jesus trouxe bênção pra mim e pra ti”. Daqui com analogia ao refrão, trago a sensação de discernimento , para dizer: no âmbito profissional ou pessoal  todas as bênçãos que desejarmos para nós mesmos que sejam igualmente capazes de otimizarem a vida de outros! “A gente” sabe que não é fenômeno, e nem é o nome mais respeitado entre os demais colegas de profissão, sabe do tamanho de nossa ótica, das lacunas que deixam de ser preenchidas,  sabemos disso; porém preciso admitir que algumas atitudes, diferentes competências foram mudadas, isso é fato;  e nesse VI Sarau Literário em que eu não sou autora sozinha, mãos humanas e cristãs juntam-se às minhas para que importantes resultados sejam alcançados! Dou-me conta quase encerrando, de que não citei as Marias, nomes bonitos, grandiosos e importantes em nossas vidas que fazem grande diferença, em nossa equipe há inúmeras, centenas, e só  não encerro esse meu ensaio com elas  porque apareceu um “José” ... Meu destaque para a encenação de que Maria é uma professora “que forma cidadão, que cuidou para que o menino Joaquim não se sentisse menos capaz, destaque duplo para as encenações, e as vidas dadas às personagens, e na escolha do tema : “ Na educação somos todas Marias”, nas  vozes, que aplausos! Nossas sugestões de leitura, nossas chamadas para a arte, nossa perspectiva de que o futuro começa agora,  por nós, com nossas atitudes ! Nossa luz! Somos iluminados! Continuemos fazendo nossa parte! Eu nasci “há cinquentas anos atrás” e percebo que na vida o que melhor edifica nosso caráter é saber evoluir com humildade, estudar e saber retribuir, compartilhando aquilo que nos foi permitido aprender.
Representando Iracema Vale
     Fotos Aconteceu Virou Noticias 
Encerrando a minha tese, de que a escolha desse tema “Mulheres na história: nomes que fazem a "diferenÇa”, seria  o divisor de águas na história dos Saraus que já promovemos , de que não será fácil superar a aceitação e a grande troca de experiência com que convivemos nesses dias, deparo-me com a feliz noticia de que um de nossos, Josés foi aprovado em Direito para UFMA! Eu não Caibo em mim, Kaio nesse trocadilho de palavras para dizer de nosso orgulho, de nossa alegria em continuar defendendo de que o estudo, com foco e muita determinação fará a grande diferença em nossas vidas! “ O filho sábio dá muitas alegrias aos pais” ensina Salomão, deve igualmente ter ensinado os pais de Kaio Sousa! Eu falaria de todas as Marias, e citaria as que estão por perto de nós diariamente, nos ajudando a fazer diferente...   falho no superlativo e excedo-me nas verborragias para descaracterizar o que aprendi sobre hipérboles;  realizadíssima, ( respondeu-me ele) porque somos cidadãos do  mundo, com direitos a Direito,  nesse pequeno lugar, “como estrelas na terra” abençoados por Deus, fazendo uma enorme  diferença! Quando escrevi minhas primeiras linhas, um sonho ficou para trás! Obrigada Senhor! Minha alegria, minha homenagem, minha gratidão aos demais companheiros de trabalho, àqueles que estão na sala de aula, “professores, protetores” das crianças de minha cidade! Na ausência de outdoor, eu cito a Clésia Maria, um dos nomes entre nós, mãe que nos orgulha e me ajudaria a compartilhar mil vezes dessa postagem, e ainda a “soltar mil foguetes.” Na família, na sala de aula, na Igreja, nos corredores, na roça; pés no chão ou bem calçados, em diferentes lugares a gente forma bons cidadãos! Minha prece, minha obstinação, com a oração de São Bento : “Não me aconselhes coisas vãs”; sendo muda, ora surda, ela murcha, mas não muda a gratidão!


4 comentários:

Antonia Rodrigues dos Santos disse...

Parabéns Professora Nilma, mais uma vez compartilhando suas sábias palavras e reflexões. E como sempre fazendo a diferença. Parabéns Mulher, Parabéns Maria!

Nilma da Silva Sodre disse...

“ quer mais, recebe aí, quer mais, pode pedir, Jesus trouxe bênção pra mim e pra ti”. Daqui com analogia ao refrão, trago a sensação de discernimento , para dizer: no âmbito profissional ou pessoal todas as bênçãos que desejarmos para nós mesmos que sejam igualmente capazes de otimizarem a vida de outros! Sentimento de gratidão!

Rayllon Galvão disse...

Belo texto professora. O que seríamos de nós "Josés" se não existissem as "Marias"? O que seria do mundo? Talvez não seria tão oloroso.

Francinete Borges disse...

Um texto maravilhoso, parabéns Nilma Sodré, Mulher, mulher e mulheres �� parabéns para nosso José (Kaio Sousa)

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...