Vias de Clara, de Assis, de José, de Marias: Mai(s)eTê


Era Junho do  ano passado, fui lembrada por meu primo para participar da festa de dez anos da pequena Maria Clara, certamente ocupada com outras tarefas nem fui até lá para cumprimentá-la pela passagem do aniversário ... e me surpreendeu ela ter dito: __  mas a tia nem veio! Esse ano, vésperas do aniversario dela, lembro-me com muita frequência e dia desses, passando por ali, deixei com a mãe dela um livro de contos e histórias, com o pressentimento de que ela gostasse de ter sido lembrada! Que coincidência professora, amanhã será o aniversário dela! Lembrou-me a mãe!   Que bom! Dali já me senti convidada para mais uma festa ...  dia seguinte, era dezenove de Junho, peguei carona e fui lá: tão alegre e feliz estava Maria Clara , uma menina meiga, carinhosa, tão amada por todos ,na presença dos pais,  dos  avós, de alguns  tios! Tudo na simplicidade ...cantamos o parabéns, dividiu o bolo, convidou para as fotos, momento de alegria! Onze anos da menina Clara!
 Estou lá, bairro da Liberdade onde seus pais moram , por sorte, lá não tem essa de    wifi liberado, uma chance entre cem de ficar totalmente por fora da novidades ... Mas vias de claro, recebi a ligação de que minha netinha já estava bem apressada e se preparava para nascer. Como assim, a previsão não é inicio de Julho!?  De volta, com outra carona, “pego o caminho de casa”! Outra ligação, mensagem de whatzap, e antes mesmo que eu tomasse fôlego, graças a Deus nossa  Maitê chorou, fez pose para fotos, procurou suas pequenas vestes para se apresentar entre os grandes! Que linda menina! Fui bem aqui à porta de casa, e sem nenhum exagero, gritei: __Tia Cota a Maitê nasceu! (Ora que me custava)  Ela aplaudiu bem alto, e rodeada de  filhos e netos sorriram de minha atitude ! Que lindo o anuncio da vida! Achei perfeita essa forma de anunciar a vida! E quase madrugada tirei meus primeiros sonos, acordei ainda anestesiada com a sensação de ser avó, mensagens, as fotos  do pequeno rosto inocente já circulavam entre tios, primos, parentes e amigos!         _Vem cá, e não fomos nós que combinamos que as fotos só sairiam depois de algumas horas? E os comportamentos já não são os mesmos! Que importa, minha renovação de vida está aqui! Impossível não se emocionar! Brincar e ouvir as brincadeiras de quem sabe das transformações de que fazem as crianças em nossas vidas ! É tempo de copa, e no mínimo Maitê ouviu nossas vozes, eu de um lado, dizendo “ por mim que o Brasil seja ou não campeão”, de outro, o pai dela na torcida sem perder um lance, prepara o banquinho, a camisa oficial e conhece com detalhe cada um dos jogadores convocados ! Sim, foi isso, só pode ter sido isso que nossa pequena se apressou em dar logo as caras! Meus cinquentas não estarão mais tão sós, com brincadeiras já insinuei uma discreta festa Junina próximo ano, naturalmente a começar por minha pequena Neta, sem intervalo para o dia vinte e um, encerrando o “tríduo” dia vinte e dois com tia Sorinha! Assim quererei meus próximos cinquentas, para que circunstancialmente nenhum dos três passem  despercebidos..  Amanheci dia vinte e lá estavam os  “status”, as novas mensagens, as confraternizações, as sugestões, “ e aí ainda não foi ver a Maitê”? Preparei-me,  porém para viajar na calma no dia seguinte.
E fui dormir, nessa onda de fotos e vídeos fomos passando o dia! Logo cedo, levanto-me para o café, e conjeturei: Passar em branco, o que há, tem sido assim e devo me alegrar e agradecer por mais esse ano... não passou muito tempo, a própria “tia Sorinha” liga para dizer que viria para tomar um café comigo! Que bom , pensei !Limitei-me ao café com cuscuz, sentei-me à mesa e aguardo que sentem comigo! (Não, não é por falta de assunto, eu pretendia escrever sobre isso para satisfazer melhor meu ego); subitamente ouço buzinas lá fora, muitas buzinas, deduzia alguma manifestação... seria protestos?  (Visto que sou vizinha da Promotoria?) era uma surpresa, uma manifestação de carinho por meio daqueles com quem trabalho diariamente, foi uma enorme surpresa para alegrar minha data e tornar meus dias mais cheios de vida ! Foi um momento de gratidão a Deus pela vida! Um momento de  belas e francas homenagens, na canção, no poema lido, nas palavras espontâneas ,menção à Maitê na oração; foi um flagrante tão bem ensaiado...  Que provocação bacana essa que meus amigos fizeram! Dividimos nosso café da manhã com mulheres que ajudavam na limpeza da cidade, multiplicamos os pães e compartilhamos com outras pessoas queridas que não estavam presentes ! Aqui está o fruto de minha convivência, pensei ! Aqui  está mais uma vez meu nome “considerado” para páginas mais otimistas e prósperas! Nas leituras, no poema, em minhas falas, na passagem  dos Salmos, no vestido vermelho de presente, na blusa com meu nome, as lembranças de meus pais, no terço, na caixinha, de filho, de irmão, de neta... evocamos o Pai Nosso e anunciamos o nome  de Maria por mais essa dádiva... na hora da escrita, lembrei-me de Clara de Assis, do Francisco de devoção de minha mãe, simples seria se tivéssemos essa humildade toda que pregamos, se  nós sentíssemos a dor do irmão ao sofrer uma perda, se nos despojássemos totalmente dessas “arrogâncias bestas”, ´ renovemos em nós o desejo de encontrar Francisco, pés no chão, mundo novo, mas sem se afastar de Deus !
Porque já até decorei, preciso ensaiar outra canção, “ cinco letras , tem seu nome e minha cara, qual a flor, grão de amor, paz, serenata, se o mundo estava bom, ficará bem melhor depois que você chegou, porque aqui há todos os lugares e espaços para mim” metáfora de Espatódeas  minha cor preferida !Mas eu bem disse: Papai aqui  está Maitê ! Uma emoção incabível ! E não são apenas os cinco anos dos cuidados com ele, são os seus  85, mais uns setenta e poucos de minha mãe... embora longos, são dias felizes! Vias de Clara, com todas as Marias ganhei de presente meu melhor, vias de Clara tão delicada e  amável menina reaprenderei a cuidar! Feliz aniversário Nilma da Silva!  E o nosso Julho já mostra as caras, comemorar as vidas, “atrás do filho vem a mãe que é pai e avó, vem a voz do avô, os sinais de neta” ... impossível não falar... E depois dessa, ainda que não haja Clara, quererei Maria, nossa Mãe, nossas irmãs; José nosso caçula de cinco anos porque( não) dará todo lugar à Maitê! Essa é minha crônica de hoje, se não “sesse” essa , como Deus tem cuidado tão bem de nós, (seriam outras),  nos dará a chance de celebrar mais oitenta e cinco e até  lá ... papai tem muita razão  “ E uma onça bonita de olhar encantado, deixou em pedaço o meu coração"! 


Nenhum comentário:

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...