Meu querido, meu voto, meu amigo!











Mais uma vez estou comprometida com as eleições municipais, sem nenhum constrangimento; vejo  proximidade do dia 07 de outubro e não tenho dúvidas quanto ao meu voto para prefeito e para vereador, entendo perfeitamente que há críticas e alguns critérios devem ser levados em conta na hora da escolha, mas as analogias devem ser úteis para o avanço e não o contrário. Nesse período, todos nós de alguma forma temos alguém envolvido, comprometido; conhecidos, amigos, parentes... que pleiteiam uma vaga na Câmara de Vereadores e devo fazer uma reflexão sobre amigos para perceber nossa inclinação a votar neles.

Por parte, há uma passagem bíblica em relação à amizade “ um verdadeiro amigo é  mais chegado  que um irmão” ; encontraremos também sobre amizade, na obra de Shakespeare o protagonismo de Hamlet ao testemunhar que “ o mérito de uma amigo está no valor em ser um humano distinto e especial”; buscando sua origem no latim, encontramos “amigo é o que quer bem”; outros tantos exemplos, reportagens, matérias e pesquisas sustentam que a amizade é nobre e saudável, sendo extinta afeta alguns órgãos. Ademais, não pretendo dissertar sobre amizade nem apresentar modelos antigos para defender meu voto.
Sucintamente, refleti sobre amizade e amigo foi apenas uma das razões para que eu começasse a falar de minha escolha, portanto não falarei só sobre “isso”, procuro escrever sobre eleições e voto. Afinal, votar em alguém pelo fato de ser seu amigo, justificaria seu voto? Estará ele realmente comprometido com a cidade, com as causas e necessidades dos cidadãos que a habitam? Entendo que por mais egoísta que pareça a campanha partidária e os interesses políticos, minha escolha só será efetivamente segura se minha paixão pessoal estiver guiada inteiramente pelo reto raciocínio. Eu particularmente tenho inúmeros conhecidos que são candidatos a vereador, no entanto, possuo um amigo e deve haver nesse meio todo, pessoas com virtudes iguais às dele, porém o amigo sobre qual falo e escolhi para votar, exerceu com seriedade seu mandato, apresentou proposições visando o bem comum, destacou-se por sua voz fundamentada na tribuna; tem suas obscuridades (não é santo) é ser humano e quem não as tem?
 Acredite amigo Raimundo, em mim quase pairavam dúvidas em quem votar  para vereador, depois de algumas incitações resolvi escolhê-lo mais uma vez por esses dois motivos, nessa ordem: por ter sido um bom representante para nossa classe e por ser meu amigo; descartadas outras hipóteses, colocando tuas virtudes prontifico-me mais uma vez em multiplicar votos, confiando mais em tua capacidade de legislar. Logo, caros (e)leitores dia 07 de outubro, oPTe pela vontade e capacidade de legislar, escolha Professor Raimundo 13000, com sua participação esse nome fará ainda mais diferença.

Parafraseando Meu querido, meu voto amigo
Setembro de 2008


Nenhum comentário:

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...