*Minha Estrela


O Sol mal cessara o seu brilho,
A noite timidamente se impunha, 
 Mas no meu coração,
Uma escuridão tenebrosa em fúria
Rugia arrebatadoramente como uma fera indomável.
Alucinadamente olho pro céu,
 O céu dos amantes, o céu dos apaixonados...
 E entre milhões de atraentes pontinhos luminosos,
Procurei pela estrela de brilho mais intenso e reluzente,
 Inconscientemente, eu procurei por você.
Ao encontrá-la, bem ao longe,
Percebi que você pairava linda, esplendorosa, soberana;
Bailava imponente, deslumbrante no mais alto do infinito,
E de lá, apenas me olhava com indiferença.
Mesmo assim a contemplei, encantadamente por um longo tempo.
De repente, como se o universo conspirasse contra mim,
 Inesperadamente surgiu uma atrevida nuvem no céu
E impiedosamente, apagou minha estrela.
 Então me dei conta das minhas alucinações,
 E encontrei-me envolvido em um enorme turbilhão de saudades.
Saudades não dos beijos ardentes, de seus lábios de mel,
 Da magia do afago de suas delicadas mãos,
 Do aconchego do seu abraço acolhedor,
 Nem tampouco do aroma penetrante do seu corpo quente e úmido,
Pois nunca os tive e jamais os experimentei.
 Mas saudades da ternura de sua voz serena e amável,
 Da doçura da melodia suave e encantadora de seu sorriso,
 Da áurea acolhedora que circunda a órbita de sua presença.
Saudades... Saudades... Saudades de você.
Minha musa, minha deusa, minha estrela...
  

* Texto enviado por um leitor  com o Pseudônimo de Didi Cavaquinho)

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...