Um lar, o anjo e as Sete Marias

          O que me agrada nessa tarde em que escrevo é saber que todos nós filhos e filhas somos feitos "à imagem e semelhança de Deus", somos herdeiros de cristãos, entre todos, somos a mais importante criação. Porém, não somente sobre isso falarei, procurarei num pequeno relato, transcrever esses momentos em quem somos irmãs, filhas e mãe de nosso pai. Conversando informalmente com alguém, quis saber quantas filhas éramos, respondi que somos seis, e que nessa história, em nossa casa, contando com minha mãe, somos sete mulheres. De certo, somos hoje Sete Marias.
         E esse assunto me volta à lembrança, porque é impossível deixar de recordar que a debilitação de meu pai, acentuou-se, dia 10 de julho do ano passado, nesse mês, nessa data, comemora-se o Dia dos Pais, e as Marias embora fragilizadas não deixarão de apresentar suas homenagens, suas manifestações de carinho, suas declarações de amor, de igual modo, encontrarão nas mãos fragilizadas pelo tempo, os desencontros de linhas tênues, formando um paradoxo o encanto inquieto nas demonstrações de amor e de carinho para conosco. E nessa história, o que me faria lembrar da "Casa das sete mulheres"?Lembrei da história, depois da conversa, (das sete) e porque nela havia um guerreiro revolucionário, sedutor que lutava contra as tiranias do mundo, na minissérie quase tudo é imaginação, quando a cito, é que dessa analogia, posso dizer da austeridade que  desejamos de nosso pai é o pisar firme, o exemplo, a dedicação à família, a humildade, a demonstração de fé; nesse último item, nosso pai é um guerreiro. Suas convicções e jeitos de ser, nos fazem ver, que mesmo desiguais e únicas, ainda assim capazes de amá-lo com a mesma intensidade, cuidar com a mesma dedicação.Só um "por exemplo", quando sonha com um dos filhos, acorda com a preocupação de que aquilo realmente pode nos atingir, diz que devemos ter mais cuidado, ser mais unidos.
        Não saberia dizer sobre muita gente, mas quantos de nós, criados somente com nossas mães, que exclama(vam) e reza(vam) para que aquele filho(a) adquirisse boa compostura! Quantos saem de seus lugares de origem, crescem, sem receber a bênção do legitimo pai e mudam seus rumos para o bem ou para o mal! Quantos correm e aguardam o abraço paterno na hora de pequenas vitórias, de sucessos pessoais, quantos!?Quantos aguardam um estímulo para o estudo, para o exercicio da profissão, para as piadas corriqueiras?! Aproveitemos nossos pais, cuidemos deles,rezemos com eles e para eles. O nosso, é um grande pai! Um guerreiro! Um filósofo nato e leigo! Ele nos surpreende a cada dia!Não erraremos em nenhuma letra se dissermos que ele foi feito à semelhança de Deus para ser nosso pai, para em tempo nos orientar a suportar nossas cruzes, para nos amar e nos tornar mais fortes; para nos mostrar que devemos nos indignar com certas injustiças, mas que seremos melhores se pudermos ser dignos do reconhecimento através do exemplo.Ora, nesse sentido, todos nós, mesmo mães, somos um pouco pai, porque revendo alguns valores dessa época, as nossas confirmações vem não só pelos sobrenomes, mas pela preparação para a vida!
José e Sete Marias
         E para você que aguardou a escrita e leitura desse texto, que sabe a essência de sermos  melhores em todos as condições: de filho(a), de mãe,de  pai, de irmã(o), tiremos a maquiagem e aproveitemos para olhar por quem sempre olhou tão bem por nós. Quando alguém supostamente pergunta a minha mãe sobre quem cuida de nosso pai, ela prontamente responde: "todas nós, as filhas, sete dias por semana, ele não fica um minuto sequer sem ter uma companhia". Todos, se puderem, terão o privilégio, nessa data, de sentarem-se com seus pais, e com orgulho, aproveitarem para cumprir algumas promessas de amor. O nosso herói completa mais um ano, em suas citações diárias, lembraremos sempre do profeta Jeremias... que as nossas histórias sejam também proféticas!Da letra de uma canção, como nossa homenagem por mais esse ano " eu tenho a palavra certa para doutor não reclamar". Para as sete Marias e seus filhos: nosso avô, nosso pai! Da fantasia à escrita, da profecia à releitura.

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...