Outubro Rosa: Por que o azul dourado?


Sinceramente não sei o que seria desse meu outubro se não houvesse "heróis"em minha vida capazes de acreditarem e oportunizarem momentos tão bons ! Embora alguns revestidos de estereótipos, na caminhada, conseguem adquirir e me dar ainda mais maturidade! Outros, de anjos! Que bom, essas figuras vivem! São de sangue, são do bem, são reais!
   Desde sempre (rssrsrsrs) quando começo a escrever, faço para mim mesma indagações absurdas,depois  colho uma opinião daqui, outra dali; quando em Outubro de 2013, inventamos o "projetando um novo olhar", tornei-me sem saber inteiramente responsável por pelo menos  uma pessoa que encontrou tempo e espaço para revelar-se e ajudar nas descobertas de uma filosofia de uma vida melhor, da inspiração pessoal,de decisões que nascem da coletividade e que podem ser compartilhadas. Não tenho oráculos, tenho presságios (dos bons)!E é através deles que dissemino essa experiência, essa sensação. Reinventando as palavras de um mestre: Como, meu Deus, não olhar a lindeza, a capacidade, os esforços que temos demonstrado na santa missão de ensinar? Como não reler a história da águia ao falar da grandeza que é ser humilde para ouvir, aprender e compartilhar?Como não sentir-se feliz e emocionada ao ouvir " Águia dourada", canção de 1987, que há tempo nos alerta para os cuidados com a natureza? Como não admitir que seja possível ser uma nova pessoa?
Hoje nossos cenários não são muito diferentes do que estiveram em outubro, do ano passado, nesse 1º de novembro fez um ano que nosso pai saiu da situação de hospital e está em casa, em nosso doce mês o desafio é testar nossa capacidade de amar sem murmurações, nós não somos exceções,e os nossos bens nada valem , o tripé daqueles dias de idas e vindas continua o mesmo. O que nos auxilia é o inalienável ensinamento, vindo das lições de casa. Isso tem sido uma de minhas inspirações. Nessa noite, em que escolhemos realizar o Fórum, meu pai nem soube que eu vestiria azul, e que depois opto por usar dourado; ouso para não me reprimir, apreciar as simplicidades, para não cair no modismo; conduzindo a vida no dizer de que todo dia é tempo de “cuidar do broto, para que a vida dê flores, frutos”. Nessa página, esse é meu paradigma, não cumpro demandas, mas, erro, tento, aprendo;  falo de minhas impressões. Aqui posso dizer que sinto enorme orgulho daqueles que reconhecem méritos, daqueles que oferecem braços e abraços, daqueles que conjugam no plural, dos que aproveitam sempre o lado bom das pessoas; de quem compartilha experiência, desejando uma qualidade para mais pessoas. Chego nesse ponto com muito mais contentamento.
Eis-me aqui!
Ao descobrir-me nessas crenças e poder identificar outras pessoas, posso bem dizer o quanto vale a pena defender que não somos apenas profissionais competentes e capazes, somos humanos, cristãos que à medida que adquirem novos saberes sentem prazer em comungar com os “amadores”, ao contar sobre os rios, ensinar as rimas, brincar, promover cidadania, orientar para a competição... com essa página, promovo a leitura, já é uma passo; os nossos colegas com as apresentações no II Fórum de Leitura , provocaram a reflexão; apresentaram metáforas. Nesses últimos dias, em que minha flor escolhida foi o cacto, o meu pássaro inspirador, o pardal; é da águia  que trago a liberdade da expressão, e para ilustrar, eis a citação bíblica apropriada: “mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão”.  Aos que com autenticidade merecem reconhecimento, posso dizer que de nosso exemplo seremos capazes de mover outras gerações. Meu voo, minha montanha, minha fortaleza , eis-me aqui. Como, meu Deus, não compartilhar?








Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...