Aos que não fazem seus filhos chorarem...


Passeio na Cidade Maravilhosa 
Um dia desses, digo,há uns dez anos, viajando com um senhor por estradas vicinais no interior do município, aproveitamos para falar de quase tudo: de contexto político, do valor  dos estudos, da qualidade de vida e aproveitamos para falar dos filhos. Não sei por que, mas adoramos “contar grandeza” sobre os filhos (inteligentes, educados, respeitadores, responsáveis) e por aí vai; na ocasião eu falava de que eu nunca precisei “dar uma surra” em meu filho e se já o fiz chorar, deve ter sido por outras razões; e o senhor com quem eu conversava, com os filhos já bastante crescidos, contava-me da maneira como havia educado seus filhos e aproveitou para dizer: “os que não fazem seus filhos chorarem, um dia chorarão por eles”.
Guardo isso, como ensinamento para retomada de decisões, remontando as palavras, sem preconizar nada, sem desconfiar de que aquelas palavras pudessem ter alguma força para mim, há pessoas que se condenam por julgar mal o outro, antecipam conceitos, quer por inveja, quer por incompreensão ou total desconhecimento e como se isso não bastasse, eu mesma já fui tantas vezes caluniada, censurada, incompreendida... Mas não é para isso que escrevo, aqui procuro desdizer esse “dito” que já atravessou gerações e por uma ou outra vez, fez algum sentido. De modo que, quando digo que não bati em meu filho, não descartei a hipótese das vezes que o repreendi, de tantas que precisei dizer não; nunca fiz todas as suas vontades, no entanto, orientei-o desde cedo para o uso correto da responsabilidade, a aplicação da disciplina, para que fosse educado no tratamento com o próximo.
E hoje, especialmente em seu aniversário, é possível que ele sinta orgulho da mãe que tem, porém eu sem nenhum medo de errar aponto do quanto sou orgulhosa de meu filho, mesmo nas falhas, consegue trazer alegria. Aos dezessete, foi aprovado em um vestibular na UFMA, (abandonou é bem verdade) mas de certo não seria esse seu projeto maior e ainda nos desencontros de nossas ideias por essa decisão nunca o desestimulei para percorrer outros caminhos, para mim, é bom dizer a passagem bíblica que diz “ quem honra sua mãe é semelhante aquele que acumula tesouros”, nisso meu filho merece parabéns duplo. Não lembro de uma vez sequer que tenha sido destratada por ele, ou que na presença de outros recebido palavras de ofensas e humilhações.
A maior parte das pessoas não entende meu posicionamento, mas quem não se alegraria se seu filho consecutivamente fosse aprovado em concursos diferentes? Para lembrar, em 2009, no seletivo do IBGE;  em 2010,  no da Prefeitura Municipal de Urbano Santos  para o cargo de Técnico em Tributos (amargou um 6º lugar...), em fevereiro desse ano, na prova do INSS para Técnico em Seguro Social, entre os 217 inscritos, conseguiu ficar em 1º lugar, para a única vaga, em nosso município. Não será esse um exemplo claro de que a Sabedoria vem do Senhor e está sempre com aqueles a quem lhes devem obediência? Não serão ainda, (além de sua inteligência nata e dedicação aos estudos ) frutos da orientação e ensinamentos da mãe?  Nessa minha homenagem não caberão  todas as  virtudes, destaco essas por compreender que nelas já está um pouco de minha felicidade. Assim, aos que reprimem, censuram ou reprovam, não pretendo zelar pela beleza, pelos bens ou pelo status quero antes me alegrar pelo bom  filho que tenho e dizer em público do quanto sou capaz de aprender com ele e, baseando-se na passagem bíblica “aquele que dá ensinamento a seu filho,  entre amigos se gloriará dele”, por fim, refaço o antigo dito: Aos que não fazem seus filhos chorarem é porque encontram  motivos enormes para sorrirem diariamente com eles. Feliz Aniversário, meu amado filho!!
11.09.2012

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

De meu quintal : um 13 maior que o mundo

Ouço as palavras , ouso nalgumas ,   uso-as como parte do papel para compor a outra parte de meu silencio , recorri a   Manoel de Barros p...